Vai comprar um carro usado? Veja essas dicas e não seja enganado!

Todo mundo sabe a facilidade que um bom carro pode nos trazer. Seja ele usado ou não, depois de tanta burocracia, papelada preenchida e boas doses de dores de cabeça, já imaginou comprar um carro que só vai te trazer uma bela dor de barriga? Parece muito azar, não é? Mas, acredite: não! Nosso artigo traz a você boas dicas para não ser enganado durante a compra de um carro usado.

Para fazer uma boa avaliação de um carro usado não é preciso ser expert e nem entender tanto do assunto assim. É fundamental que, ao avaliar um possível usado, você se atente aos itens mais significativos do automóvel. Lataria, motor, freios e até os vidros da máquina podem te indicar as reais condições da “caranga”.

Todos estes itens podem falar muito pelo veículo que você está desejando levar para casa, ou melhor, para garagem, mas nada é tão importante quanto o motor. Conhecido também por ser o coração do carro, o motor é o responsável quase por toda a mecânica do produto. Então, peça ao vendedor que abra o capô e te deixe analisar cada detalhe, como por exemplo, se há mangueiras soltas, rasgadas, com fissuras.

Vai comprar ou vender um carro, moto ou caminhão? Consulte a Tabela FIPE. Clique aqui, consulta online e gratuíta!

Alguns carros têm a capa do motor que, basicamente, é um grande escudo de plástico que protege, principalmente, as partes elétricas. Dessa forma, com toda a permissão do proprietário, retire a capa e veja se os fios estão em condições razoáveis de uso.

É importante ressaltar que, geralmente, os motores de carros, quando estão a venda, têm seus motores limpos e, até mesmo, siliconados, ou seja, caso você perceba que o motor está um tanto empoeirado, fique mais atento pois isso pode indicar um certo descuido do atual dono.

Responsável pela transmissão de movimentos do motor e do câmbio, a embreagem é o componente fundamental para garantir a função básica de um carro. Para se ter uma visão geral da embreagem do usado, não tem outro jeito, você precisa dirigi-lo. Peça ao vendedor as chaves e pise fundo. Dê uma longa volta pelo quarteirão, pelo bairro e, definitivamente, sinta o carro.

Preste atenção se há ruídos, na dinâmica do automóvel, passe em relevos e veja como os freios vão se comportar. Um bom carro não se comporta como um liquidificador.

A estética do automóvel não serve apenas para embelezar o veículo, já que pela pintura podemos identificar se houve batidas, recuperação das latarias, arranhões ou amassados. Por isso, nunca avalie a estética de um carro em locais fechados, escuros ou mal iluminados.

Peça ao vendedor que coloquem o carro em um local aberto para que você consiga enxergar todos os detalhes. Fique atento com os espaços entre as latarias, como por exemplo, entre o capô e as portas, afinal um espaçamento muito grande pode ser um indício de uma recuperação.

É importante que, durante o processo de avaliação do carro que você está pretendendo comprar, você seja bastante criterioso e perceba cada detalhe. Pergunte. Questione. Entenda. Não tenha medo de saber tudo, exatamente tudo, sobre a documentação do automóvel. Afinal, você tem de saber se o carro é financiado, se está tudo documentado, o número de chassi, esses detalhes.

Para os mais atentos, dê uma olhada se o carro está com os adesivos originais de fábricas. Por exemplo, verifique se o adesivo da fábrica está presente nos vidros, isso te ajuda a entender se houve batidas ou troca da vidraçaria. O odor do automóvel e a estética dos bancos também precisam ser observados. Caso haja algum odor diferente ou manchas nos bancos, pode ser um claro sinal de que o veículo já enfrentou uma enchente.

Depois de uma boa avaliação e feito o seu papel de maneira correta como consumidor, você já pode decidir se realmente a compra será um bom negócio. Aproveite e boa compra!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *