Tabela FIPE – Carros, Motos e Caminhões

Tabela FIPE

Você tem dúvidas de quanto cobrar na hora de vender seu carro? Não sabe exatamente quanto está valendo o seu possante no mercado? Não se preocupe. A Tabela FIPE é referência no mercado econômico e pode te ajudar.

A FIPE – Fundação de Instituto de Pesquisas Econômicas – foi criada em 1973 e é uma fundação de direito privado sem fins lucrativos que realiza pesquisas de custos para os consumidores. Ela realiza diversas pesquisas no ramo econômico, por exemplo, o IPC que mostra o rendimento das famílias paulistanas, custo para o consumidor e o preço médio de veículos, conhecido como tabela FIPE.

Vai comprar ou vender um carro, moto ou caminhão? Consulte a Tabela FIPE. Clique aqui, consulta online e gratuíta!

Mas como a FIPE chega nesses valores? Nós vamos te explicar. A Tabela FIPE indica preços de carros e utilitários a partir do ano modelo de 1985, para caminhões 1981 e motos, triciclos e quadriciclos a partir de 1990. Para caminhões, a Tabela FIPE somente considera o valor da cabine de cada marca, modelo e versão. Para os veículos 0 km, os valores são uma média para versões básicas, intermediárias e completas. Então, a tabela FIPE é uma média de preços anunciados.

Periodicamente, pesquisadores da FIPE vão até concessionárias, conversam com vendedores e atualizam os preços que estão sendo praticados no mercado.

Para veículos seminovos e usados, os preços são considerados de um mesmo veículo ofertado e a média é retirada de um valor muito alto e um muito baixo. Vale lembrar que são desconsiderados os veículos especiais, que são aqueles vendidos para o governo, de frotas, blindados, modificados, veículos de fabricação própria ou de marcas não conhecidas no mercado, os veículos de transporte independente e também os veículos em teste.

É importante que na hora de vender o seu veículo ou comprar um carro, seja novo ou não, você esteja muito atento a Tabela FIPE. Claro que estamos falando sobre uma média e a Tabela FIPE não é uma tabela que dita os preços, mas somente serve como uma base.

As características do carro podem contribuir para que ele esteja acima ou abaixo da tabela. Dependendo de suas condições, o valor do carro pode variar em até 5% para mais ou para menos. Você já parou para observar que na documentação do automóvel existe o ano de fabricação e o ano modelo? Então, a tabela FIPE considera o ano modelo do veículo crucial para definir uma média de preços. Isso porque o ano modelo é o considerado para vendas, tanto de 0 km quanto de usados.

É bom lembrar que a Tabela FIPE serve também para financiamentos de veículos e também para seguradoras definirem os seus preços. Isso significa que se seu carro sofrer algum sinistro, você receberá o valor da tabela FIPE. Por exemplo, se você comprou um carro ano passado pelo singelo valor de 30 mil reais e, um ano depois, o seu carro sofreu algum sinistro e houve uma perda total, você receberá o valor da tabela FIPE vigente.

Por isso, se você vai vender o seu carro ou comprar algum, não perca tempo e consulte o site da FIPE, basta clicar na opção de Preço Médio de Veículos, colocar as informações necessárias como marca, ano modelo, versão e o valor é mostrado. Lembrando que, a avaliação do seu carro pode variar um pouco, já que depende da condição e estado do veículo em todos os seus aspectos.

Ah, se o seu carro for blindado, a Tabela FIPE não considera essa opção como uma média de preços. Qualquer dúvida, sempre converse com um vendedor de sua confiança, leve seu carro para mais de uma concessionária, ouça, dialogue e entenda. É fundamental que para um bom negócio não haja dúvidas quanto o valor de seu automóvel. Boa sorte.

Você sabe o que é a Tabela FIPE?

tabela fipe

A Tabela Fipe é a forma ou maneira de se avaliar ou dar como parâmetro o preço médio de um veículo no mercado nacional, ou seja, o valor que ele está valendo atualmente, para que seja feita as negociações ou até mesmo avaliações. Saiba mais:

Como Funciona

Como os valores variam praticamente muito, até mesmo em função da região que você mora, considerando a conservação também do veículo, a cor do mesmo, acessórios que nele são colocados, considerando outros fatores que possam influenciar as condições dadas de oferta e o que leva a procura por certo veículo.

Na tabela Fipe, algumas coisas são levadas em contas também, bem diferentes talvez do que o cliente está acostumado, pois o ano do veículo refere-se ao ano do modelo e nisso não são considerado veículo para uso profissional ou especial, pois muita gente se confunde sobre isso.

E os valores dos mesmos são informados em reais (R$) mês ao ano devido a sua referência.

A Tabela Fipe Pode Influenciar Pode Influenciar na Indenização do Seguro do Auto?

Essa é uma das maiores confusões que ocorre sobre a Tabela Fipe, sobre como ela influencia a indenização do seguro. Mas ela tem bastante importância sobre isso. Pois a indenização feita do seguro do automóvel é paga com referência no valor médio da tabela Fipe (diferente do que dizem que é sobre o valor máximo),sendo referente ao mês do pagamento da indenização, desconsiderando o mês em que foi contratado o seguro. Sendo por isso, levando em conta que a indenização pode haver valorização ou desvalorização, devido ao que se encontra o valor do veículo no mercado.

O que muito acontece, referente à Tabela Fipe é isso: Você contrata o seguro em fevereiro e nesse momento a Tabela Fipe dizia que o seu veículo estava valendo 26.000,00.  Lá por agosto o seu veículo foi roubado e não foi encontrado, com isso você será indenizado. Você viu que o pagamento foi liberado no mesmo mês, em agosto. E no mês de agosto a Tabela Fipe dizia que o meu veículo valia 27.000,00 (e não 26.000,00), então nesse caso você saiu ganhando, pois o seu veículo estava sendo valorizado. Sendo que pode ocorrer o inverso e você receber a menos pelo o seu veículo estar desvalorizado (o que acontece muito).

Também vale salientar que a Tabela Fipe não leva em consideração os opcionais do veículo, com isso, o seu carro poderá possuir qualquer tipo de rodas diferentes, som alternativo, etc. Que não estarão na cobertura da indenização integral, somente se você fizer uma contratação de cláusula opcional  de acessórios.

A Virada do Mês e a Tabela FIPE

Você também tem que levar em consideração sobre a virada do mês para receber a indenização do seu carro. Caso o seu carro tenha sido roubado no final de agosto, mas você recebe a indenização referente a setembro, sim está correto! Pois você recebe o salário referente ao da Tabela Fipe da indenização e não referente ao acionamento do seguro. O que muita gente confunde isso. Que vai receber desde quando foi acionado, mas não. Recebe referente ao mês de indenização. Que isso fique bem claro, portanto o próximo mês a vir é setembro, será indenizado por setembro.

De 100% à 110% da Tabela FIPE

Para quem possui automóvel, pode contratar até 110% no seguro do automóvel na Tabela Fipe, o que vai depender também de diversas circunstâncias, onde as regras variam de seguradora para seguradora. Se você receber mais de 100% de indenização, é porque você optou em receber os 100% da Tabela Fipe por seu automóvel, seja por perda total ou roubo, mais os acréscimo escolhido.

Vai comprar ou vender um carro, moto ou caminhão? Consulte a Tabela FIPE. Clique aqui, consulta online e gratuíta!

Um exemplo bem simples é: se contratei 105% da Tabela Fipe e o meu veículo deu perda total, assim receberei 100% mais 5% do valor previsto na Tabela Fipe.

Geralmente, a contratação de mais de 100% da tabela ocorre para veículos que possuem equipamentos ou acessórios que são diferenciados em relação ao modelo que se refere o carro. Ou até mesmo por pessoas que querem se manter precavido de alguma desvalorização que venha a ocorrer pelo modelo do seu carro.

Pensou em vender o seu carro? Veja com o seu corretor a valorização do seu veículo e a melhor forma de utilizar a Tabela Fipe. Com certeza não irá se arrepender. 

Como Consultar a Tabela Fipe

A Tabela Fipe é atualizada mensalmente, baseando-se nas pesquisas feitas nos 24 estados do país, fazendo o descarte dos valores que ficam muito abaixo e também dos valores muito acima do normal. Tendo como objetivo servir para calcular o IPVA, em aplicação de contratos de compras e vendas, entre pessoas, seguradoras e financeiras. Por isso a importância de ter e saber como consultar a Tabela Fipe. Veja:

tabela fipe
Tabela Fipe

Quando Foi Criada a Tabela FIPE?

Temos como base que a Tabela Fipe foi criada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE), uma Instituição privada, totalmente sem fins lucrativos, criada para análise econômica e social dentro dos parâmetros brasileiros. Algumas pessoas gostam de consultar a Tabela Fipe na hora de fazer a venda do seu veículo até mesmo para saber o quanto o mesmo está sendo ou não valorizado, se está valendo a pena fazer o negócio naquele momento ou se seria bom esperar mais um pouco para que venha a valorizar por algum motivo.

Vai comprar ou vender um carro, moto ou caminhão? Consulte a Tabela FIPE. Clique aqui, consulta online e gratuíta!

Essa tabela funciona como uma tabela de preços de carros usados e também de novos, e isso vai de acordo com as suas características, sendo elas: se o motor é 1.0, se é motor é 2.0, se o veículo é 0 km, se é Flex, se possui air bag, direção hidráulica, entre outras coisas que favorecem, entre elas, a marca e modelo do veículo conta muito. Ao consultar a Tabela Fipe você poderá saber a diferença de preço entre dois modelos iguais ou de dois anos diferentes. Sendo uma tabela que serve para todo o tipo de cliente.

Tenha em mente que ao consultar a Tabela Fipe ela trabalha com o valor médio de veículos, fazendo uma base dos valores que são praticados nacionalmente. Eles não são consideravelmente, valores exatos, pois os valores dos veículos mudam de acordo com o local que se mora, com a cor, acessórios, o estado de conservação, entre outros fatores que são levados em conta, sendo apenas um comparativo.

Tabela FIPE
Tabela FIPE

Na hora de vender ou comprar

Na hora de vender ou comprar um carro usado, muitas pessoas costumam consultar a Tabela Fipe como base para ver se tem acréscimos ou decréscimos levando em conta o estado do carro.

Isso é bom, porque leva como base o valor que o veículo está valendo. Muitas vezes são vendidos fora da tabela e abaixo do que realmente estão valendo, portando, se for vender ou comprar e quiser negociar de tal forma que possa favorecer ambas as partes, então consulte e veja se vale realmente a pena comprar ou vender pelo o que a tabela está mostrando ou pelo o que estão oferecendo. A decisão é sua!

Qual a Importância de Consultar a Tabela Fipe

A importância vai ao consultar a Tabela Fipe, para quem não tem ideia de quanto está valendo um veículo em estado novo ou usado e está desejando comprar ou vender, seja carro, moto ou caminhão. Mesmo sendo apenas uma referência, a Tabela Fipe ajuda a servir como base de preço médio do mercado na hora de compra e venda.

A Tabela Fipe não serve apenas para consultas de carros novos, como ela é uma tabela que já existe há bastante tempo, então ela reúne valores médios também de veículos desde 1985 até a data de hoje, ou seja, ela tem grande serventia para quem possui carros mais antigos e querem vende-los a quem deseja esses modelos mais antigos, que são mais difíceis de encontrar.

Não deixe de consultar a Tabela Fipe, pois ao consultar, faz você esclarecer várias dúvidas sobre os valores médios de veículos dentro do mercado nacional. E essa consulta acaba sendo uma maneira de descobrir se o valor do modelo que você está interessado é realmente o que está sendo cobrado. Você consegue descobrir isso pela tabela e ainda se os valores cobrados por certas concessionárias são realmente justos ou estão sendo abusivos.

Portanto, faça a consulta através do site do próprio Instituto e veja os valores através dos dados do veículo que você possui, colocando exatamente como solicita para preencher os dados, de forma muito simples e fácil, só seguir o que se pede e colocar os dados. Segue o link: Consulte Tabela Fipe. E boas compras! Boas vendas!

Encontre o carro perfeito para você com estas dicas

Mesmo que não tenha sido fácil para você garantir o melhor preço e termos para um veículo que você comprou no passado, isso não significa que você não pode fazer agora. Você só precisa aprender as habilidades necessárias de negociação. Você não terá mais que aceitar o preço pedido pelo vendedor. Antes de entrar nas lojas a procura de seu carro ideal, consulte o valor dele na Tabela FIPE para não ser enganado.

Se pretende financiar seu veículo, faça cotações online antes de visitar a concessionária. Se você tiver um empréstimo em mãos quando for a concessionária, o processo será muito mais fácil.

Pesquise qualquer concessionária que esteja considerando antes de comprar um carro. Você terá muito mais espaço para negociação se entender como eles fazem seu financiamento e como eles lidam com comerciais.

Saiba o tipo de carro ou moto que deseja antes de ir a uma concessionária. Pesquise todas as opções antes da compra para que você possa descobrir o que é melhor para sua situação financeira e de vida. Você também será capaz de encontrar um carro que você pode pagar e não ser enganado por vendedores.

Nunca pague o preço total pedido pelo vendedor

Comprar um novo veículo pode ser assustador e excitante. Há uma série de sites que listam o carro que você precisa e quer. Isso pode ajudá-lo em dinheiro e tempo reduzindo as escolhas.

Evite assinar as garantias quando compra veículo usado. Esta decisão que você vai se arrepender. Você precisa apontar pelo menos uma garantia de dois ou três meses no local após a compra.

O trabalho de um vendedor é fazer as mais altas comissões. Pode ser óbvio, mas algumas pessoas realmente não conseguem o que está acontecendo ao lidar com vendedores. Tenha em atenção os custos extras e adições que podem ser adicionados a uma venda. Mesmo os carros de barganha podem ser muito caros por centenas ou milhares.

Se você se sentir intimidado você deve se afastar. Mesmo que eles desejem fazer algo para fazer você ficar, basta ir. Saia de lá! Há muitas opções disponíveis para ficar em algum lugar que faz com que você possa gastar um tempo valioso.

  • Não compre um carro novo assim que for lançado para venda

Quando a pessoa que vende um carro pede ao gerente para lhe dar uma nova oferta, não aceite a oferta. Faça uma contra-oferta, ele fará a menor oferta disponível. Eles querem vender o carro, portanto, eles provavelmente deixarão de perder o tempo até lá.

Certifique-se de procurar reembolsos de antemão. Muitos negociantes de automóveis oferecem descontos no local para convencê-lo a fazer uma venda rápida.

Você sempre deve fazer um teste no carro quando comprar algo. Você precisa dirigir o carro e notar se tiver algo de errado com ele. Teste o máximo possível para que você realmente se sinta confiante em sua compra.

Você acha que tem mais confiança agora para assumir o controle sobre sua próxima situação de compra de veículos? Este conselho deve ter lhe dado a confiança que você precisa. Você não precisa apenas se confundir com as coisas ou pensar o que as pessoas lhe dizem é verdade. Você tem o conhecimento que lhe dará o poder de assumir o controle e encontrar o negócio certo.

Licenciamento Anual de Veículos

Licenciamento Anual

Nosso Sistema Nacional de Trânsito institui alguns impostos obrigatórios para a regularização dos veículos automotores para circularem em vias terrestres dentro do território nacional. Entre eles temos Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo – CRLV.

Além dele, temos também o Seguro DPVAT e o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores – IPVA. O não pagamento dessas taxas irá deixar o veiculo irregular e acarretar punições e dificuldades futuras.

Dificuldades essas que irão te atingir em um futuro próximo, e em curto prazo, através de multas e a não regularização do veiculo enquanto não forem devidamente quitadas, podendo inclusive trazer muitos transtornos com órgãos fiscalizadores.

Esse imposto, assim com os demais citados, é um procedimento anual, e um dos objetivos da sua existência é atestar que o veiculo encontra-se em conformidade com as normas de segurança e ambiental, o que acaba não se concretizando, pois não há uma inspeção rigorosa do automóvel.

Sobre o pagamento e não pagamento do Licenciamento

O pagamento do Licenciamento é obrigatório assim como o porte do mesmo no interior do veículo, que poderá ser solicitado pelos órgãos fiscalizadores a qualquer momento.

Os valores e datas de pagamento do licenciamento também variam de estado para estado. Normalmente, são apresentados em forma de boleto bancário, e podem ser quitados diretamente nos guichês de caixa ou terminais de auto-atendimento mediante o número do RENAVAM.

Podendo também ser efetuado através de instituições arrecadadoras devidamente credenciadas para receber o pagamento do IPVA como Banco do Brasil e Mais BB, SICOOB, Bradesco, Caixa Econômica Federal e Casas Lotéricas, HSBC, Mercantil do Brasil, Santander e Banco Postal.

E mesmo esse imposto tendo sua própria data limite de vencimento, sendo ela até no máximo dia 31 de março do relativo ano, o mesmo pode ser feito de forma antecipada.

Essa antecipação, normalmente é para realizar o pagamento juntamente com o IPVA. E esses valores variam entre R$50,00 e R$100,00. E vale ressaltar que só o pagamento destes, não é garantia de obter o licenciamento do ano corrente, pois é necessário que a situação do veículo esteja regular.

Isso significa que para que seja emitido um novo documento é necessário que não haja débitos relativos aos impostos de IPVA e Seguro DPVAT, e tampouco multas de trânsito pendentes.

Depois de efetuado os devidos pagamentos, o novo documento emitido, será enviado ao endereço do proprietário cadastrado no banco de dados do DETRAN do seu Estado via Correios.

A falta desse documento do carro, ou seja, o motorista que dirige sem ele, independente de estar ou não quitado, acarreta em punição imediata. Estando pagos ele está sujeito a multa no valor de R$ 53,20, além da apreensão do seu veículo e a perda de 3 pontos na sua carteira nacional de habilitação – CNH.

Se o caso for de documentos não pagos, a pontuação aplicada é de 7 pontos na Carteira Nacional de Habilitação – CNH, e a multa para a ser o valor de R$191,54 e o veículo também será apreendido.

Quando apreendido, o veículo só será liberado mediante a regularização da situação do licenciamento e também terem sido pagos todos os encargos dessa remoção e estacionamento.

Para efetuar o pagamento quando já vencidos, a pessoa, pode se dirigir a qualquer uma dessas agências arrecadadoras em posse do número do RENAVAM, número esse que consta no documento de Licenciamento de qualquer ano.

Vai comprar ou vender um carro, moto ou caminhão? Consulte a Tabela FIPE. Clique aqui, consulta online e gratuíta!

Elas estão totalmente aptas para calcular e receber os valores que deverão ser pagos, inclusive, com os acréscimos legais de multa e juros de mora referentes aos pagamentos fora da data do vencimento.

Sendo esses acréscimos calculados com os acréscimos de 0,15% ao dia até o trigésimo dia de atraso, 9,0% do trigésimo – primeiro ao sexagésimo dia de atraso e 12,0% após o sexagésimo dia de atraso, mais o índice referencial da SELIC, que é atualizado mensalmente pelo Banco Central do Brasil.

No caso do RENAVAM não ser encontrado na base de dados das agências bancárias, será necessário providenciar a emissão do DAE para efetuar o pagamento da TRLAV. Essa guia pode ser impressa diretamente do site do DETRAN.

Mantenha a situação do seu veículo em dia e evite transtornos, o licenciamento é uma forma de aumentar a segurança no trânsito e evitar que veículos sem condições ofereçam riscos para motoristas e pedestres.

IPVA: Qual o objetivo desse imposto?

O IPVA é uma sigla que representa Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores. Este imposto foi criado na verdade para substituir o extinto TRU – Taxa Rodoviária Única, criada em 1969 e que também era cobrada anualmente.

É um imposto que tem como objetivo de arrecadar dinheiro proveniente de qual tipo de veículo. A arrecadação é feita pelo Estado – governos municipal, estadual e federal, sendo que 50% do total do montante são destinados ao próprio estado, e os 50% destinados ao local onde o veículo foi registrado.

E a utilização dessa arrecadação é direcionada para custear vários tipos gastos como asfaltamento em ruas, colocação de sinais, manutenção das rodovias, saneamento, transporte, saúde, segurança e educação. Além de também para ser usadas em obras públicas, como a conservação e construção de estradas.

Entenda o conceito do IPVA     

O IPVA é taxa que incide sobre a posse de um veículo, e recolhido, vai para os cofres do estado. O valor do mesmo é determinado por cada governo estadual, e qualquer pessoa que possua um veículo automotor, sendo motos, caminhões, carros de passeio, ônibus, vans, carros de uso profissional ou micro-ônibus, precisam pagá-los anualmente.

Vai comprar ou vender um carro, moto ou caminhão? Consulte a Tabela FIPE. Clique aqui, consulta online e gratuíta!

Há estados que eximem do pagamento algumas categorias especificas, como por exemplo, carros mais antigos com tempo de uso superior a 10 anos. E não há obrigatoriedade de investir essa arrecadação em novas estradas ou recuperação da malha viária, o recurso entra no total do orçamento.

Ficando a cargo de o governante estatal decidir qual o melhor destino para seu uso. As opções de pagamento do mesmo são apresentas como à vista ou em até três parcelas e é necessário ser pago uma vez por ano, todos os anos durante o tempo de vida útil desse veiculo.

O valor a ser pago do IPVA é formado com base no valor venal do veículo, por exemplo, se seu carro de passeio vale R$ 30 mil, e a alíquota a ser paga for de 4%, você pagará R$ 1.200,00 referentes ao imposto.

A sua quitação é um requisito obrigatório para o licenciamento. Para efetuar o pagamento o proprietário receberá em sua casa um documento intitulado de Aviso de Vencimento com as informações necessárias, juntamente com o seguro DPVAT.

Nesse aviso consta dados sobre o veículo, assim como os valores, as datas, se há possibilidade de parcelamento e também informações sobre as parcelas, e formas de pagamento. Com esse documento é possível regularizar o IPVA referente aquele ano.

Podendo inclusive ser quitado juntamente com o Seguro DPVAT e até mesmo fazer o Licenciamento Antecipado. Lembrando que o não pagamento do IPVA implicará em multa que impede a obtenção do licenciamento.

O valor do IPVA é pode variar de estado para estado. Em São Paulo, por exemplo, é cobrada uma alíquota de 4% sobre o valor do veículo, enquanto para os outros estados, a variação é de 1% a 3%. Por esse motivo, tem aumentado o número de pessoas que tentam licenciar seus veículos em estados.

Mas, no entanto, isso é considerado ilegal, e quando descobertos essa fraude, é necessário regularizar a situação do veículo, mesmo o imposto tendo sido recolhido em outro estado, os proprietários serão notificados e deverá quitar o imposto desde o ano em que o mesmo deveria ter sido licenciado naquela localização, o estado onde o ele realmente reside.

Com essas medidas de punição cada vez mais severas, o Estado tenta impedir que pessoas fraudem a lei para pagar impostos de valores diferentes dos estipulados. E há relatos de órgãos especializados que apontam um grande numero de transferências para outros estados como o Paraná, onde a variação é de 1 a 2,5%.

E mesmo com transferências efetuadas para esses outros Estados, os veículos na verdade nunca saíram da sua localidade inicial, foram efetuados somente os tramites de transferência, quando na verdade o proprietário nunca se mudou para aquela região.

Se for necessária a emissão de uma segunda via do IPVA, o procedimento é bem simples, pois é possível acessar o site do DETRAN do seu Estado e solicitar por ele ali mesmo, podendo a mesma ser impressa ou ser requerida para chegar ao local determinado.

Os proprietários de veículos podem também fazer consultas por meio da internet a qualquer momento e obter informações sobre o imposto IPVA, seguro DPVAT, entre outros.